SEXTA-FEIRA, 17 DE AGOSTO DE 2018
DATA: 10/06/2018 | FONTE: Dourados Agora Saiba como se prevenir de queimaduras nas festas juninas

Entre os meses de maio a setembro, o clima em todo o país fica mais seco, o inverno também traz vento e as pessoas ficam mais aglomeradas.

É também nesta época do ano em que aproveitamos as Festas Juninas, que de tão tradicionais, não acontecem somente em junho e tão pouco apenas na região Nordeste.

Por todo o Brasil, as pessoas acendem fogueiras, fazem panelas enormes de caldo e canjica, soltam fogos de artifícios, balões (apesar de proibidos) e as crianças se divertem com estalinhos de fogo.

Todo este cenário favorece a ocorrência de queimaduras.

Mário Ramos, médico chefe da Unidade de Queimados do Hospital Regional da Asa Norte (Hran), em Brasília, confirma a incidência maior de acidentes com fogo ou objetos quentes nesta época.

"De forma geral, em 90% dos casos, a queimadura é decorrente de negligência ou imperícia de alguém. Ou seja, é o manuseio errado, da forma errada, no local errado", alerta o especialista.

Entre os pacientes do doutor Mário, boa parte são crianças, que, por descuido dos pais e responsáveis, se queimam especialmente em panelas com alimentos muito quentes.

Por isso, o cuidado com elas precisa ser redobrado nas cozinhas, principalmente quando os recipientes onde os alimentos são preparados são muito grandes, como costuma ocorrer em preparos culinários das Festas Juninas.

Esta recomendação é reforçada pelo capitão do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, Luiz Xavier. "O cabo das panelas e caldeirões precisa estar virado para a parte de dentro do fogão.

E para evitar acidentes o melhor é que as crianças se mantenham longe do local de preparo dos alimentos", disse.

O que fazer em caso de queimaduras?

Tanto o médico quanto o capitão dos Bombeiros ensina que, quando os acidentes com queimaduras acontecerem, a primeira coisa a se fazer é interromper o mais rápido possível o agente que está causando a queimadura.

Então, por exemplo, se a pessoa está próxima demais a uma fogueira e se queima com fogo, a primeira ação é apagar o fogo do corpo.

Se a queimadura é causada por um líquido quente ou fogo de artifício, é preciso lavar imediatamente a ferida, tapar com um pano limpo e procurar o serviço de saúde com urgência.

"Não é recomendando passar qualquer tipo de produto na queimadura. Apenas água limpa para resfriar a pele e evitar que ela se queime mais.

Atendo aqui no hospital pessoas que chegam com cremes, pasta de dente e outros produtos que só agravam a situação e podem causar algum tipo de infecção", lamenta Mário Ramos. Apenas os profissionais de saúde podem avaliar qual a ação ideal a ser feita em cada caso.

E, outra dica é não esperar muito tempo para procurar atendimento médico e não se automedicar.

Cautela

Em relação a foguetes e rojões, o capitão Luiz Xavier explica que a melhor forma de evitar acidentes é seguir as regras de cada produto à risca. "Tem que observar o local indicado e não soltar em meio às pessoas.

É bom também obedecer a indicação de idade para o manuseio, não insistir em acender um foguete que falhou uma vez, entre outras normas".

Para garantir a segurança, tenha sempre um balde com água para pagar o foguete em caso dele falhar. A respeito de balões, não há recomendações. Soltar balões é crime ambiental e pode render penalidades.

Com estas dicas de cuidado e segurança, de preferência com um olhar ainda mais atento sob as crianças, é possível curtir as Festas Juninas à vontade, com toda sua representatividade cultural, religiosa e gastronômica.

E mesmo quem não gosta deste tipo de festança, pode adotar as recomendações para passar bem pelo inverno, sem acidentes que terminam em queimaduras.

16/08/2018 São Francisco Saúde investe R$ 2 milhões em nova unidade de saúde em Ivinhema
SAUDE
16/08/2018 No primeiro semestre de 2018 foram feitas 67 Cirurgias de Catarata no Hospital Municipal
SAUDE
16/08/2018 Idosos devem praticar atividades físicas de forma moderada
SAUDE
16/08/2018 Erros em hospitais matam 148 pessoas por dia no Brasil, mostra estudo
SAUDE
© JORNAL DO CONESUL | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS