QUINTA-FEIRA, 18 DE JANEIRO DE 2018
DATA: 09/12/2017 | FONTE: Redação Mãe corre contra tempo para conseguir cadeira adaptada para filho prestes a entrar na 1ª série A cadeira é adaptada e valor custa R$ 10 mil

A manicure Sandra Campos, de 33 anos, corre contra o tempo para conseguir comprar uma cadeira de rodas adaptada para o filho Luiz Cláudio, de 6 anos, que é portador de uma doença rara, chamada de distrofia muscular congênita merosina negativa. Campos montou uma campanha pelas redes sociais para levantar o montante de R$ 9.790,00. A cadeira é para que a criança possa ir à escola em fevereiro.

"Toda ajuda será bem-vinda", relata a mãe. Sandra contou que, desde os dois meses de idade, descobriu que Luiz portava a doença. "Mas aos cinco meses foi dado o diagnóstico correto. Desde então, tenho procurado a dar qualidade de vida para o meu filho", relata.

Sandra explicou que a partir das recomendações feita por um fisioterapeuta foi à loja e fez um orçamento que chegou ao valor de quase R$ 10 mil. "Ele não tem sustentação nenhuma do corpo, por isso, precisa de uma cadeira infantil, mas todas as adaptações são necessárias".

Luiz faz tratamento no Hospital das Clínicas, em São Paulo, com auxílio do Governo do Estado. A família reside no interior, em Nova Andradina. O menino também recebe atendimento cardiovascular em Campo Grande. "Mas em janeiro, vamos à São Paulo para novos exames e consulta".

ara quem puder ajudar pode entrar em contato pelos telefones 9.8105-8378 (Tim), 9.9648-6264 (Vivo). Para quem desejar fazer doação pode fazer depósito de qualquer valor. Agência: 0788, Operação: 013, Conta Poupança: 12952-3, Banco: Caixa Econômica Federal, em nome de Sandra Campos. 

18/01/2018 Após morte de homem que veio a MS, saúde mantém recomendação sobre febre amarela
SAUDE
15/01/2018 Hepatite A: saiba como se pega o vírus, quais os sintomas e tratamentos
SAUDE
14/01/2018 Bebê que nasceu após mãe ser baleada no Rio tem quadro de 'extrema gravidade', diz médico
SAUDE
09/01/2018 Ibuprofeno pode levar à infertilidade masculina, sugere pesquisa
SAUDE
© JORNAL DO CONESUL | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS