SEGUNDA FEIRA, 22 DE OUTUBRO DE 2018
DATA: 03/10/2018 | FONTE: Correio do Estado Confira a ordem de votação na urna eletrônica para o próximo domingo
Para os eleitores que ainda estão na dúvida da sequência de votação que será utilizada nas urnas no próximo domingo (7) o Correio do Estado informa que a ordem para este ano é a seguinte: deputado federal, deputado estadual ou distrital, senador 1, senador 2, governador e, por último, presidente. A escolha da sequência é feita estrategicamente para que eleitor não deixe de computar os demais votos que ficam por último, já que as maiores relevâncias estão nos cargos executivos. A escolha que determina a ordem da votação em que se inicia com votos na proporcional, na urna eletrônica, se deve ao receio de o eleitor não continuar o processo e deixar de concluir as demais escolhas. Por esse motivo, as majoritárias não são colocadas nos primeiros lugares, na sequência. Isso porque se o eleitor confirmar um voto e deixar de concluir os demais, os não computados serão considerados nulos. Esse procedimento é necessário para que a urna seja habilitada para o próximo eleitor. Essa sequência que será implantada nas eleições deste ano esteve em vigor nas eleições de 1998, 2002 e 2006. Já nas eleições de 2010 e 2014, a sequência era diferente e a primeira escolha era para deputado estadual e não de federal. Essa ordem entre deputado estadual e federal não foi determinada por lei e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tem essa liberdade para mudar as ordens. Pode-se considerar como uma das justificativas para a mudança da ordem o fato de que se o eleitor digitar o número do candidato a presidente - que corresponde ao respectivo partido - no campo para deputado federal e confirmar, o voto será computado para a legenda do partido do deputado. OUTRA MUDANÇA Nessas eleições, a escolha para as duas vagas ao cargo de senador deverão ser feitas distintamente, ou seja, o eleitor deverá votar em dois candidatos diferentes, se votar no mesmo candidato duas vezes, o segundo voto será anulado. Em cada estado serão eleitos os dois candidatos mais votados. Os senadores têm mandato com duração de oito anos, sendo o único cargo no Brasil que ocorre desta maneira. Se o eleitor votar em apenas um candidato ao Senado por duas vezes, o segundo voto será anulado.
21/10/2018 Caarapó-Interino é homologado como candidato a prefeito em eleição extemporânea
POLITICA
21/10/2018 PDT pede ao TSE a nulidade de eleição presidencial
POLITICA
21/10/2018 Azambuja e Odilon estão tecnicamente empatados, diz o Ibope
POLITICA
20/10/2018 Documento que pede nulidade da eleição presidencial chega ao TSE
POLITICA
© JORNAL DO CONESUL | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS