DOMINGO, 21 DE OUTUBRO DE 2018
DATA: 18/07/2018 | FONTE: sul news Adversário na eleição de 2014, PSDB cogita Delcídio em chapa O MDB disputa o ex-senador e André Puccinelli até postou foto ao lado de Delcídio

Adversário político na eleição de 2014, o PSDB não descarta ter o ex-senador pelo PT, Delcídio do Amaral (hoje no PTC), na composição da chapa no pleito deste ano. A avaliação é do secretário de Administração e Desburocratização de MS, Carlos Alberto Assis, nesta segunda-feira (dia 16).

 

"Se a Justiça liberar [o Delcídio] é mais um grande nome para Mato Grosso do Sul. Se estiver no nosso arco de alianças [do PSDB] será uma conquista muito grande", disse o secretário, que deixa o cargo até o fim de julho para coordenar a campanha de Reinaldo Azambuja (PSDB).

 

Do contrário, em um possível cenário com o ex-senador em chapa diversa, os tucanos vão "combatê-lo". "Se for adversário é forte e vamos combatê-lo". Em 2014, Reinaldo e Delcídio se enfrentaram na corrida para o governo nos dois turnos.

As especulações em torno do ex-senador surgiram desde a semana passada, quando a Justiça o inocentou da acusação de obstrução à justiça, depois de quase três de sua prisão.

Delcídio já se movimenta juridicamente para tentar anular a cassação de seu mandato, decretada pelo Senado em decorrência da acusação. O PTC, por sua vez, projeta o ex-parlamentar como candidato ao parlamento federal na eleição deste ano.

SAÍDA

Como já havia anunciado, Carlos Alberto Assis vai deixar o cargo até o fim de julho, para coordenar a campanha de reeleição de Azambuja, em Campo Grande. A recomendação será para o adjunto da secretaria de Administração e Desburocratização, Édio Viegas, assumir como titular.

20/10/2018 Documento que pede nulidade da eleição presidencial chega ao TSE
POLITICA
20/10/2018 Daciolo entra com mandado de segurança no TSE para anular 1º turno
POLITICA
19/10/2018 PF indicia Michel Temer e filha Maristela por corrupção passiva e lavagem de dinheiro
POLITICA
19/10/2018 Elevação do piso salarial de agentes de saúde vai custar R$ 4,8 bi em três anos, diz Planejamento
POLITICA
© JORNAL DO CONESUL | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS