SEGUNDA FEIRA, 24 DE SETEMBRO DE 2018
DATA: 16/05/2018 | FONTE: Correio do Estado Pacientes esperam mais de cinco horas em companhia de pombos na UPA Denúncia diz que em certos momentos não há cadeiras para tomar soro

A Saúde Pública e o atendimento das unidades de Campo Grande voltam a ser alvo das reclamações. Na tarde de ontem (15), pacientes ficaram cerca de cinco horas aguardando atendimento por apenas três médicos que estavam de plantão na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Vila Almeida.

Um ouvinte da Mega94 participou do programa Bom Dia Mega na manhã de hoje (16) e disse que não havia macas ou apenas uma cadeira para que a filha tomasse a medicação via soro. “Minha filha estava com dores abdominais e ficamos das 13h30 às 17h30 esperando. Além disso, quando foi atendinda, teve que esperar mais porque não tinha maca e nem uma cadeira para ela ficar sentada e tomar esse soro”, relatou.

O pai da paciente reclamou do descaso de médicos e outros profissionais de saúde que atuam na UPA. “Apenas três médicos atendendo e demorando mais de 40 minutos para cada atendimento. Um descaso dos funcionários também. Me senti humilhado por precisar do serviço”, completou.

POMBOS
Além da questão de atendimento, o ouvinte denunciou a falta de um pedaço no forro do teto da UPA, onde pombos estão morando. “Tem fezes de pombo nas paredes e com a falta desse pedaço do forro, eles podem defecar em pleno saguão de entrada da UPA”, comentou.

A reportagem entrou em contato com a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), mas até o fechamento dessa matéria não houve retorno.

24/09/2018 Diagnóstico da dengue hemorrágica pode ser facilitado por marcador biológico
SAUDE
23/09/2018 Pacientes denunciam farmácia fechada em posto de saúde; Sesau diz que está entregando remédios
SAUDE
22/09/2018 Urologistas alertam sobre os principais problemas de saúde masculinos
SAUDE
22/09/2018 Cuidado: suicídio é 2ª causa de morte entre jovens e internet pode aumentar os riscos
SAUDE
© JORNAL DO CONESUL | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS