TERA-FEIRA, 14 DE AGOSTO DE 2018
DATA: 20/04/2018 | FONTE: Campo Grande News Caarapó e Amambaí-Produtores e caminhoneiros aprovam "nova" MS-156 Rodovia tem importância estratégia para a economia do Estado, escoando produção de soja, milho e cana-de-açúcar Gabriel Neris
A MS-156 passou por reconstrução e sinalização, garantindo a aprovação dos produtores, caminhoneiros e moradores da região entre Caarapó e Amambaí. A obra foi entregue recentemente pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB). Foram investidos R$ 53 milhões em 74 km de estrada. Passam pela rodovia cerca de mil veículos diariamente, sendo 40% veículos de carga. A MS-156 tem importância estratégia para a economia do Estado, já que a estrada serve para escoar a produção, como soja, milho e cana-de-açúcar. “Não tinha estrada. Tinha asfalto e monte de buraco. Eram dois, três jogos de pneus e mola que tínhamos que trocar toda hora. Era um perigo constante. Sofremos uns dois anos. Tinham uns buracos fundos. Melhor seria estrada de chão”, afirma o produtor Olavo Trindade Caneppele. “Agora ficou um espelho, muito bom. Dificilmente se vê uma obra assim. Trabalharam bem”, completou. O presidente do Sindicato Rural de Caarapó, Antônio Humberto Maran, diz que são muitos os produtores que dependem desta rota para escoar a produção. “Todos os produtores ficaram satisfeitos com o investimento. Ouvimos só elogios. Antes era difícil. Não tinha alternativa e todo dia tinha caminhão com pneu estourado”, conta. Ele diz que o trajeto era feito em uma hora e meia e agora o percurso é completado em 45 minutos. Para escapar dos buracos, os produtores optavam por um desvio por Ponta Porã, acrescentando 70 km à viagem.
14/08/2018 Palhaço que esteve em turnê em Naviraí Morre em acidente na BR-158
Geral
14/08/2018 Projeto de Matemática é desenvolvido na escola José Carlos da Silva
Geral
14/08/2018 Três anos depois de lei, 70% das domésticas estão na informalidade
Geral
14/08/2018 PIS/Pasep: resgate começa hoje para trabalhadores de todas as idades
Geral
© JORNAL DO CONESUL | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS