QUINTA-FEIRA, 21 DE JUNHO DE 2018
DATA: 13/01/2018 | FONTE: Redação Família duvida de suicídio e quer exumação do corpo de jovem encontrada morta em presídio Vítima tinha marcas no rosto e na barriga

Depois de perceber hematomas no corpo de Larissa Oliveira, de 27 anos, durante seu velório, familiares da jovem querem a exumação do corpo da ex-detenta encontrada morta no presídio feminino de Corumbá no dia 28 de dezembro do ano passado. Até então, a morte era apontada como suicídio, porém a hipóteses é colocada em xeque pela família.

De acordo com informações do site Capital do Pantanal, Larissa foi encontrada enforcada na cela onde cumpria pena. Em autópsia realizada no Instituto Médico Legal, a causa da morte foi atestada como asfixia mecânica e enforcamento.No entanto, durante o sepultamento da vítima, a família observou e fotografou diversas lesões no rosto, nariz, braços e na barrida da interna, fato que levantou desconfiança.

Além disso, a morte gerou questionamentos entre os parentes porque Larissa estava em regime privilegiado, trabalhando em um programa de inclusão social e prestes a conseguir tornozeleira eletrônica com o indulto de Natal. No entanto, uma falha no endereço fez com que o juiz negasse soltura a detenta.

A mãe, Rosângela Oliveira dos Santos, afirma que a versão de suicídio não tem fundamento porque a filha estava com saudades e ansiosa para rever as filhas. “Agora eu quero justiça. Exumação do cadáver e indenização por parte do Estado. Levaram minha filha viva e devolveram morta. Quem vai sustentar suas crianças?”, disse ao jornal Capital do Pantanal.

 

Foto: Sylma Lima / Capital do Pantanal

20/06/2018 Policiais investigados por contrabando de cigarros viram réus em MS
POLICIA
20/06/2018 Exército deflagra operação para fiscalizar empresas que fornecem armas em MS
POLICIA
20/06/2018 Homem ameaça “furar” mulher com faca para roubar celular
POLICIA
20/06/2018 Casas pegam fogo e dono dos imóveis morre ao saber de incêndio
POLICIA
© JORNAL DO CONESUL | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS