QUARTA-FEIRA, 17 DE JANEIRO DE 2018
DATA: 06/01/2018 | FONTE: Globo Esporte Jô explica saída do Corinthians, dá dicas a substituto e se despede: "É um até breve" Atacante vendido ao Nagoya Grampus, do Japão, dá adeus ao Timão nesta sexta

Negociado com o Nagoya Grampus, do Japão, Jô se despediu do Corinthians nesta sexta-feira. Em entrevista coletiva no CT Joaquim Grava, o atacante mostrou gratidão ao clube que o revelou – e depois o ajudou em sua recuperação, em 2017.

– Minha história no Corinthians não começou em 2016, começou lá atrás, várias pessoas, o presidente. Tenho de agradecer a todos, se eu tiver de lembrar de todo mundo, é uma porrada de nomes. Só agradeço a Deus por ter me dado essa oportunidade num momento tão difícil da carreira. É um até breve. Foi tudo um pouco rápido, talvez alguns imaginassem que seria mais longo. Mas o futebol é assim, dinâmico. É um até breve – afirmou.

Dono de 100% dos direitos econômicos de Jô, o Corinthians receberá 11 milhões de euros (cerca de R$ 43 milhões) pela venda do atacante.

Para o lugar de Jô, o Corinthians contratou Júnior Dutra, do Avaí, mas a diretoria quer mais. O clube segue em busca de um reforço para a posição. O ex-camisa 7 mandou um recado para o seu substituto:

– Quem chegar, tem de se comportar bem dentro e fora de campo. Muitas vezes, tecnicamente você não pode estar no seu melhor dia. Mas, pelos anos que tenho de experiência, você se dedicando e dando a vida, a torcida vai te abraçar e levar para onde quiser.

 

Antes da entrevista coletiva, Jô foi ao campo do CT Joaquim Grava e cumprimentou os ex-companheiros de Timão, que treinaram pela manhã.

Jô foi revelado no "terrão" do Corinthians e estreou no time principal com 16 anos, em julho de 2003. Ele retornou ao clube no fim de 2016 e marcou 25 gols em 2017, sendo 18 no Brasileirão. Considerando as suas duas passagens pelo Timão, ele disputou 179 jogos e marcou 32 vezes.

O Japão será o sexto país estrangeiro em que Jô atuará como jogador profissional. Antes, ele jogou pelo CSKA Moscou (Rússia), Manchester City e Everton (Inglaterra), Galatasaray (Turquia), Al Shabab (Emirados Árabes) e Jiangsu Suning (China).

Confira outras declarações de Jô na entrevista de despedida do Corinthians:

 

COPA DO MUNDO

 

– Seleção brasileira sempre vai ficar na minha meta, nos meus objetivos. Lá na Seleção tem profissionais capacitados. Independentemente do local em que o jogador esteja, o Tite já provou que olha para todos os lugares. Tenho de continuar fazendo meu trabalho, tenho certeza absoluta de que ele está observando. Talvez isso não fizesse eu ficar. Eu deixava meu futuro indefinido porque o futebol é muito dinâmico, você tem de viver o dia a dia. Procurei fazer isso para não expor ninguém. O Tite ainda está observando, e vou continuar com esperanças até o final.

 

VOLTA À ÁSIA

 

– O Japão é um país de primeiro mundo, e aí você começa a pensar na família, no meu filho que nasceu agora, na segurança, educação. Acabou chegando uma proposta irrecusável, tanto para mim quanto para o Corinthians. Agradou às duas partes, é um país com referências boas, já estive lá. Não tive como recusar. Vou ficar triste por deixar o Corinthians, mas o futebol é assim.

 

LEMBRANÇAS

 

– O momento de maior dificuldade foi no começo do ano, logo após aquele pênalti perdido contra o Santo André. Ali voltei para casa, conversei com minha esposa, muitos torcedores xingaram ela. Eu dizia para todos terem paciência que eu iria dar a volta por cima. Sempre tive respaldo de todo mundo, principalmente dentro do clube. Depois foi só alegria, o momento mais feliz foi quando concretizei os objetivos. Paulista, Brasileiro e artilharia. Fiquei muito feliz, mais uma vez entrei para a história do clube.

 

RETORNO AO TIMÃO

 

 

Meu desejo sempre vai ser voltar para o clube. Sou corintiano mesmo, tenho certeza de que deixei as portas abertas. Então, sua volta é sempre tranquila. Aprendi muita coisa aqui no clube. Depois de ter me renovado como pessoa, coloquei em prática no clube que me deu a oportunidade. Aprendi muito como ser humano, lidar com as pessoas, ser exemplo, não só dentro, mas também fora de campo. Saio daqui hoje com um sentimento de satisfação e gratidão. Cresci muito como ser humano.

 
 
17/01/2018 Paranaense 2018 começa com expectativa de equilíbrio
ESPORTE
17/01/2018 Pelé revela maior decepção da carreira
ESPORTE
16/01/2018 Em boa atuação, Corinthians faz 3 a 1 na Ferroviária e vai às oitavas
ESPORTE
15/01/2018 Coritiba muda estilo de jogo pra temporada 2018
ESPORTE
© JORNAL DO CONESUL | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS